sábado, 11 de junho de 2011

Terás um telescópio?


nada mais
é claro,
nem se
quer,
a face da lua- 
absurda

e a lembrança de
mora,
para em cada
estalo,
ser outra-
ligeira
constelação

nada mais
é casto,
nem se
quer,
a face da lua-
obscura

e a lembrança de
cora,
para em cada
espaço,
ser outra-
luzeira
conspiração

(Cris de Souza)

23 comentários:

Assis Freitas disse...

no olho do astrolábio o desenho do orbe se afigura


beijo

Marcantonio disse...

Então, tudo desvendado, tudo revelado, tudo mapeado, não há mais mistério entre a luz e a sombra. Precisamos reinventá-lo com memórias vindas de um pequeno cosmo ainda não totalmente visualizado? Que tal um microscópio que alcance para além do DNA uma luzeira alma?

Beijo.

Domingos Barroso disse...

são diamantes, Crisântemo,
são diamantes teus versos
...



Beijo carinhoso.

Lara Amaral disse...

Me de
moro
em seus versos
me acho!

Linda!

Daniela Delias disse...

Que lindo, que lindo!

Celso Mendes disse...

para ver a conspiração de luzes das palavras vindas da memória cada um tem seu próprio telescópio. o segredo é como enxergá-las e delas extrair a poesia.

beijo, moça da lira iluminada!

Úrsula Avner disse...

Oi minha linda, sempre me encanto com seus versos e esses últimos transcendem qualquer sentimento...Belo ! Beijão.

Tania regina Contreiras disse...

Vieram pra esse fim de domingo, Cris...Belos versos...Chegaram-me bem a tempo!
Beijos,

J.F. de Souza disse...

ESPETÁCULO! =D

1[]!

O Fiel da Balança disse...

o jogo com as palavras...sempre!
Amei!
Saudade de viajar até aqui...
fiquei
de
lirado!

Beijo

afonso rocha

Luiza Maciel Nogueira disse...

Cris querida um telescópio você não tem, quem tem te vê :))

só um detalhe no poema é "delirar" e não deslizar, mas se for de propósito deixa flor.

beijos!

« Katyuscia Carvalho » disse...

reluzência brincante, a da
menina-do-olho da estrela!

Eduardo Trindade disse...

Claros são os olhos que nem sonhamos sonhar e que um dia, quem sabe, descobrimos - sem telescópio, sem astrolábio, sem nada - na janela ao lado.

Bípede Falante disse...

Conspira, menina, com a poesia para nos deixar assim com rastros de luz de lua.
beijosss

Ju Fuzetto disse...

A lua empresta a luz pra brilhar na tua poesia!!!!!

Espetáculo Cris!!
beijo

Batom e poesias disse...

Não é humano essa vontade de desvendar?
Mas ainda há muito mistério...

bjs, amada.

Rossana

Tatuagem disse...

A face da lua reflete a luz da inspiração...

Jorge Pimenta disse...

o que se esconde para além do que nunca se mostra?...
beijinho com saudades tuas, querida amiga!

Thiago Nogueira disse...

Eu adorei!

Priscila Rôde disse...

A tua poesia me cala!

Wania disse...

Nada mais é claro, mas as constelações conspiram a favor...
Quero sempre olhos de ver além!



Bjs, Cris

Adriana Karnal disse...

poesiva viva.

Renata de Aragão Lopes disse...

Cris,

passeei pelo seu Trem da Lira
e me encantei com muitos versos!

Adicionarei seu espaço
às "delícias alheias"
que acompanho e recomendo!

Beijo,
Doce de Lira