sexta-feira, 27 de junho de 2008

Danada



Súbito momento...
Certo que agora envelheço
Violo o horizonte,
Despejo razão no ar
Vendo a vida passar invertida
Fito-me assim pelos dias
Em sonoros vendavais
Debruço no céu, onde
Arrisco rotas supostas
Pela contra-mão
Liberta e suspensa,
Confusa e intensa
Dou asas ao intento,
Feito pássaro
Perco rumo,
No vento sul eu sumo
E me acho no norte
Que sorte!

(Cris de Souza)

Um comentário:

Ulisses Reis disse...

DANADA, que nada, só vontade de deixar o nada de lado, maravilhosa, muito bem ter voce poetisa para ler e me inspirar a escrever, lindo, beijo!