quarta-feira, 25 de junho de 2008


no
instante
aloucado
que teu beijo
me aprisiona
viro mel
nos teus
lábios

e que
tua boca
não mais
me liberte

(Cris de Souza)

3 comentários:

cesar disse...

Lindo.Basta para definir o poema.

Tatá R. da S. disse...

"e que
tua boca
não mais
me liberte"

T-u-d-imo!

Ulisses Reis disse...

Maravilhoso, por isso ao poucos vou ler todos, muito belos, parabens novamente, estou ficando sem adjetivos para voce, beijo !