quinta-feira, 5 de junho de 2008

Dossiê


Meus olhos
Faíscam por ti
Minha voz
Adoça
Ao te ouvir
Minhas mãos
Te tateiam
Sem freio
Meus lábios
Te semeiam
Em anseio
Minha boca
Investiga a tua
Minha língua
Serpenteia e
Te suga
Sem pudor
Sem temor
Sem veste
Celeste
Nua e crua
Tanto e tua
Balancê
A mercê
Te revê
Te relê
Com você
Em você
Pra você
Por você

Eu preciso dizer que te amo?
(Tanto...)

(Cris de Souza)

Nenhum comentário: