sábado, 7 de junho de 2008

Sem horas




Não vou deixar você pensar
Nem vou deixar você escapar
Perto de ti, relógio desoriento
Perto de ti, ponteiro ao relento
Suspensos são os segundos...
Incenso badalam os minutos...
Desde que perdi meu senso
Quando fiz de ti meu tempo


(Cris de Souza)

Um comentário:

José Pedro da Silva disse...

O blog está lindo! Essa foto está linda! E os poemas são lindos! Adorei!