sábado, 27 de dezembro de 2008

Enquadro


sob nossos segredos
arestas pernoitadas
de ensejo
na casca de madeira
rangem tom

arde nos lábios
tato harmônico
dentre partes
ensaia sem calma

sob nossos medos
retas madrugadas
de arejo
na lasca de clareira
rompem som

alarde nos raios
ato vulcânico
dentre artes
baila na alma

(Cris de Souza & André Ulle)

3 comentários:

O esconderijo do Pinico disse...

Esse ta lindão!

haha quanta honra céus, quantaaaa honra!

sentido minuciosamente claro!

Robson Araújo disse...

otimo poema
tambem gostei do blog

Cesar Maia disse...

alarde nos raios
ato vulcânico
dentre artes
baila na alma"

Por todas as deusas...