sexta-feira, 26 de junho de 2009

Da força da flora

Brilhante alameda
Semente acesa
Seiva aurora

Rumo verdeja
Folha flameja
Flora vigora

Giram mil sóis
Terra que planto
No cio do encanto

Pro néctar vingar
E sumo brotar
No céu do recanto

(Cris de Souza)

8 comentários:

Maria Lúcia disse...

Incrível!
Tuas palavras têm a força de um gigante e ao mesmo tempo a suavidade da brisa do mar!O sentido do jogo de tuas palavras atravessam nossa alma feito um furacão e provocam bem lá no fundo lembranças... alegrias... reativam sonhos!!!
Parabéns!

Cuca disse...

Teu perfume é etéreo!

Tatá R. da S. disse...

Seu jardim poético floresce tão bem quanto seu jardim real.

Florista que eu amo!

Machado de Carlos disse...

Palavras profundas!... haja prazer!

Machado de Carlos disse...

Este Soneto é um Acróstico, cujo nome repetido várias vezes.

Cantiga da Estrela
http://ilove.terra.com.br/autores/texto.asp?idpi=228

Cismo, canto e choro... Amável loucura!...
Rimo, recordo e reflito!... Doce ilusão.
Inovo, imerso, e imito esta amargura,
Sonho e sofro, sinistro. Fujo à razão.

Como criança crua, curto esta ventura;
Reino, reconcilio, renovo a emoção.
Incito-te...Impulso ímpar de ternura
Sou sólido, sim; saltitante coração.

Criei, colecionei... Cores de todo matiz;
Revivi, revirei, rompi a flor-de-lis,
Incrível, indizível tua intocável rosa.

Sofro sóbrio. Minha pequena,
- Como conseguirei tocar tua melena?
- ! - Respondo trisonho!... Rendo-me em prosa.

Úrsula Avner disse...

linda e doce poesia Cris, em versos melodiosos e bem elaborados. Muito bom visitar o seu cantinho. Bjs.

Paulo Vitor Cruz disse...

esse poema me fez lembrar q o copo vazio está cheio de ar...

Bubaloo disse...

uau Cris.. muito bom.. suas poesias sempre possibilitam formar imagens, paisagens, sonhos! mui bom mui bom!