quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Jás

Basta de vista grossa
Enquanto nosso caso adoece

Basta de peso nas costas
Enquanto nosso caso aborrece

Nem pense que domina
Não cabe mais ruína
Logo o corpo se perdeu

Nem pense que determina
Não cabe mais morfina
Logo a alma já morreu

(Cris de Souza)

17 comentários:

Mateus Araujo disse...

Sou o primeiro?
uHUL

Coisa linda!

Amannda Dantas disse...

é verdade... não é fácil matar. se matamos, existe a lembrança.. sem morfinas sem nada. naõ existe " JAS" para lembranças. tudo se mistura pq é assim... dessa maneira q naõ entendo e q me cansa as vezes. é a onda na praia. tudo q morre um dia vive na lembrança. belo texto Narizinho. beijo!

DJ Anael disse...

o que passou, passou.

Cuca disse...

Tua mira é fatal...
Bandida!

rai2007 disse...

Imagino Maria Bethânia descalça, a desfilar cantando esse boleirão derrado em dores-de-cotovelo.

rai2007 disse...

Dito teus versos embriagado com rum e soda limonada.

Cuca disse...

Voltei pra bebermos o defunto...

Tatá R. da S. disse...

Falou pelas minhas angústias.
Pesado!
Beijos, amada!

Úrsula Avner disse...

Cris, sua escrita poética me encanta, sempre bem cuidada com belas metáforas, rimas , cadência, ritmo, beleza , harmonia na métrica e na temática. Bj.

Machado de Carlos disse...

Criação do Prazer

No jardim encontrei-te: - Jovem Eva!
Nos florins e nas pautas da canção
Grafei com letras d´ouro e ilusão!
Enfim vi as luzes em minhas trevas.

Tua face me ilumina e me eleva...
Borro versos... Um choro de emoção!
Sou o plebeu com as vestes de Adão
E contemplo tuas cores numa tela.

Beijo teus pés! – somente pra mim:
- Na alcova... Ah, lembro da criação de Caim
Que saiu do cálice da serpente!

A serpe correu com corpo de mel
Noutra noite... Sorrimos por Abel!...
Em pranto de alegria sou: - O inocente!

Cris de Souza disse...

JÁS - era

Are graça, cheia de Maria!!
Com peso nas costas,
de tanta folia.

A corde a alma,
ofereça morfina,
ninguem determina...
sexo anima!

Afine a vista, pois grossa
é um tédio,
cure esse caso,
dê-lhe um remédio!

Se não resolver...
Volte a beber!

(Ricardo Marçal)

Paulo Vitor Cruz disse...

algo engraçado e triste:
"conheço vivos de almas mortas e mortos de almas vivas."

*queria eu estar sendo um grande mentiroso ao teclar isso...mas nem tudo é como a gente quer, né...

abs.

REGGINA MOON disse...

Cris,

Existem muitos "jás" em nossas vidas, temos de aprender a lidar com eles, e desistir da tal morfina.

Lindo demais!

Um grande beijo!!
Bom final de semana!

Reggina Moon

Pedro Aruvai disse...

maravilhosa!
bjsss

Bubaloo disse...

Impressionante, contagiante e emocionante!!!
Como todos os seus textos!

BeejO Cris-tal

Continue assim!

Rosa disse...

eu que morri sem ter nascido para ele.

Cuca disse...
Este comentário foi removido pelo autor.