sábado, 5 de dezembro de 2009

Ode ao sentir


Eis o coração floreia
E o pulso arvora
Um ser no outro

Sois que o domínio
É faz de conta do pacto

Eis o coração flauteia
E o impulso aflora
Um ser do outro

Sois que o delírio
É fina flor do impacto

(Cris de Souza)






20 comentários:

Nádia disse...

Falando em " delírio"...

Você que é um delírio borbulhante.

Surpreende sempre e de novo, com suas palavras.

Amei, sempre e de novo !

Beijoca !

Cuca disse...

Delirei...
Cristal, a cada noite mais brilhante!

Pedro Aruvai disse...

belos versos.
com gosto de manhã.
bjsssss
======================

Flor de laranjeira, doce
doce de cheiro de flor
será que outra coisa fosse
antes de ser essa flor ?

pedro aruvai

Tatá R. da S. disse...

Suas palavras pincelando um belo quadro...
Lindo, lindo.
No meu blog tem um breve poemeto, tenho postado pouco, se quiser ir lá ver. ^^
Quando eu me livrar das provas darei um jeitinho de te visitar.
<3

Úrsula Avner disse...

Belo delírio poético Cris ! Prazer em te ler sempre ! Bj.

Monique Rosa, rosa rosa disse...

e eu completo:

ser só em delírio do outro.
enquanto ser no outro.
o pulso arvora,o coração floreia...
e a vida segue.

Luciano disse...

É QUE SUA POESIA É MINHA, COMO SÃO MINHAS AS PALAVRAS TODAS JUNTAS, QUANDO BELAS...ASSIM É TUA POESIA, ASSIM É SEUS CONTORNOS TODOS, OS TEUS CAMINHOS... ENFEITADOS COM ESMERALDAS...

BJOS

LU
LUPI

Priscila Rôde disse...

Lindos versos!
Um deleite!

Um beijo.

Paulo Vitor Cruz disse...

esse me deu vontade de ir aí no meu cavalo branco só p apertar vossa buchecha esquerda, señorita...

abs-ão.

Machado de Carlos disse...

Seu poema é um momento, um retrato de prazer e felicidade!

Machado de Carlos disse...

Sentir Uma Ode

Ao contemplar-te a mente floreia
E nutro-me da pele que se cora!
Canto! Chega à luz da aurora...
No teu cheiro! - (um salto nas veias!)

No grito houve um nó que norteia...
Uma plena exaltação, então, vigora;
O perfume extra, multicor se aflora
Na dupla festança da nossa ceia!...

No espaço apenas um nauta
Ouve o som da tua doce flauta!
Ah! Que laços de bronze – um pacto...

A partida foi um triste martírio;
Carrego horas e horas de delírio...
Há na saudade um novo impacto!...

Ribeirão Preto, 07 de dezembro de 2009.
04h42

seu gordo disse...

forte como sempre ! parabens... beijo do gordo otima semana pra vc

Monique Rosa, rosa rosa disse...

eu queria que o coração tivesse explodido num atentado terrorista.

Rafael disse...

Oi, Cris, muito bonito o poema!
Quem te indicou foi a Tatá R. da S.
bjs

Patrícia Lara disse...

Oi Cris!

Vim banhar-me neste mar de poesias maravilhosas que vc nos presenteia.

Lindo este poema! Parabéns pela inspiração.

Um abraço,
Patrícia Lara

Lisarda disse...

Cristal, além da imagem, o seu poema é belo
Que seja assim de feliz a sua inspiração nos poemas futuros!
Um abraço

Ianê Mello disse...

Linda imagem poética, repleta em lirismo.

Gostei demais de teu espaço e de teus poemas, transbordantes em sensibilidade e beleza.

Sigo-te.

Quando quiseres, será um prazer receber-te no meu.


Beijos

Lili disse...

Lindo demais Cris!!!
Viajei...

rai2007 disse...

Nas folhas do poema, arvorei.
Cantei uma canção
para acordar a chuva.

rai2007 disse...

A fina flor do impácto é a tua poesia. Glamourosa e ritmada em cores e surpresas.