domingo, 31 de janeiro de 2010

Acontece





“ Tem dias que a gente se sente como quem partiu ou morreu.
A gente estancou de repente, ou foi o mundo então que cresceu ... “
(Roda viva- Chico Buarque de Hollanda)



Acontece, tem dias
Que a gente esquece
De viver

Acontece, tem dias
Que a gente carece
De morrer

Dias desses de prova
Quando tudo que pesemos
Desterramos a sós

Dias desses de cova
Quando tudo que perdemos
Enterramos em nós

(Cris de Souza)

17 comentários:

Cuca disse...

Acontece que você me enlouquece.

Absoluta!!!

Cuca disse...

E não canso de repetir: Minha poestisa predileta!

Antonio disse...

ACONTECE que quem a gente ama não esquece.
Marvada !!!
Bjos

Paulo Vitor Cruz disse...

sabe aquelas coisas q merecem (merecem mesmo) serem chamadas de bonitas?... "acintece" é uma dessas...

abs+ão.

.Leonardo B. disse...

[esquecimento e abandono, audácia na letra que se arredonda no verso]

um imenso abraço, Cris

Mateus Araujo disse...

Inspiraddísssimaaa...
Eu fico só admirando. Parabéns
Não são todos q fazem o que você pode fazer
agradeça a Deus *_*

Beijoo

Priscila Rôde disse...

[Acontece, tem dias
Que a gente merece
não nascer.]

...

Acontece que eu preciso
sempre ler você!

Um beijo Cristal!

flaviopettinichiarte disse...

Dias desses de cova
Quando tudo que perdemos
Enterramos em nós.

bom, eu acho que teria dado alguns dos meus melhores dias para escrever esse verso..NOSSAAAAAAAA!!
Parabens Poetiza!!! fiquei sem palavras ..e olha que isso é difícil em mim!! Muito BOM!! BRAVOO!!!!

malu jacques disse...

É... realmente tem esses dias na vida da gente... Eles fazem parte de nosso amadurecimento...
E tu... alimentas meu eu com teus versos!!
É um privilégio ter tanta inspiração!
Parabéns minha poetisa!! Te gosto

Machado de Carlos disse...

Que Luz!

Tu és estrela de luz, cadente...
Refazes a alma, astro, com teu canto;
Encontrei-te nos céus, na hora santa.
— Zeus, abençoa minha estrela cadente!...

— Ei astro, como clareias minha mente!
Quero sentir o teu céu, o teu manto;
Uma estrela, um caminho, hora santa;
Assim, astro, vai vida, tão somente...

Teu céu, teu mar... eis meu suave mundo...
O meu ser segue teu rumo, profundo;
Reitero, astro: — És a real felicidade!

Zeus? Deus? Sei lá qual é o teu mito;
Enfim, vagueio no teu céu... no infinito!...
!... estrela... céu... nossa eternidade!...

Ribeirão Preto, 20 de janeiro de 2002.
13h20 min.

Machado de Carlos

Publicado no Recanto das Letras em 02/02/2009
Código do texto: T1418690

Almeida Lucius ™/ Ulisses Reis ® disse...

Acontece que voce de dia anoitece
e com tuas palavras me amolece . . .

Muito lindo e fico sempre feliz em ver teus escritos, beijos !!!

Byers disse...

Oie cris!!!

Flor estou aqui por indicação de um leitor teu, o Mateus Araujo, eu me chamo Rubens, sou editor de uma revista eletronica chamada Sunshine.

Ela é uma revista de literatura, trata principalmente de poesia, eu tento ai divulgar a galera, gostaria de saber se tem interesse em conhecer a revista e de participar na proxima edição com de seus textos lá.

meu blog:

www.rubensmedeyros.blogspot.com

o site da revista:

www.revistasunshine.com.br

bjus! tu escreve muito bem!

Nádia disse...

Dia desses, ainda vou aí, pra conhecer a Feiticeira mais talentosa que eu conheço !

Bjooo!

Úrsula Avner disse...

Oi Cris,

mais um bonito , sonoro, lírico e expressivo poema que você soube tecer com muita sensibilidade. Bj com carinho.

Úrsula

Monique Rosa Brasil disse...

Tem dias que a gente está sem voz.

Tatá R. da S. disse...

Senti falta, viu?
E sei bem como são dias assim.
Mais um poema lindo.
Beijos, mamis.

rai2007 disse...

"Quando tudo que perdemos
Enterramos em nós".

Tem dias que estrelas não brilham no escuro da alma. Assim é a poesia, pão nosso de cada dia.