segunda-feira, 10 de maio de 2010

Só à deriva

Noite cheia de luar
Eu me cego
À abraçar navios

Sem leme
Sem lenço
Sem lírio

Noite cheia de luar
Eu me pego
À avistar desvios

Sem vela
Sem vento
Sem visto

Só, anoitece o mundo...
Dos males lidados
Os ais partem a vista
Na encosta abismar

Só, acontece no fundo....
Dos mares limados
Os sais pesam a vida
Nas costas do olhar

(Cris de Souza)

22 comentários:

Nádia disse...

" Noite cheia de luar
Eu me pego
À avistar desvios "


Quem não fica desse jeito, vez ou outra ? mas aí... qual desses desvios a gente segue ?


A Cris, perfeita, como sempre !
Saudade de vir aqui...

Beijooo pra você !!

Lara Amaral disse...

Os sais pesando a vista e tantas outras imagens desse seu poema são incríveis.

Beijos.

Cuca disse...

Me pego, me cego à aplaudir tuas palavras...

Dona da lira!!!

Jorge Pimenta disse...

jogos de palavras hábeis aproximam a solidão da indefinição... sempre sob o espectro vivo da noite...
um beijinho, cris!
sabe bem navegar até aqui.

Machado de Carlos disse...

Noite Longa

Por que me deixaste nesta sina?
Ai, relógio! — Tu morres nas tuas horas?!
O telefone calou-se... Não chora!
Esta triste espera envelhece, ensina...

O tempo retarda o raiar d’aurora;
Meus pensamentos perdem-se em ruínas,
Não esqueço... Vejo tu’alma cristalina,
A despedir-se a qualquer hora...

Terás comigo nesta noite fria?
... difícil será a chegada do dia!
Tolero m’ provas em pleno léu.

Tudo caiu e ruiu neste vendaval!...
Ainda não entendo o porquê deste m’mal;
Amor, - preciso de ti e do teu céu!...

Machado de Carlos,

Machado de Carlos disse...

Obrigado pela Visita em Meu Blog.
Obrigado por ler-me!

Leonardo B. disse...

[comandam as ondas mares coração, ventos aliseos, nuvens soltas na escuridão]

um imenso abraço, Cris

Leonardo B.

Paulo Vitor Cruz disse...

me fez pensar em sexo..

besos, chica sumida.

Pedro Melo disse...

muito lindo! obrigado por despertar estes sentimentos novos! :)

Sempre disse...

Cris,

Muito bom quando podemos estar com o pensamento à deriva, nos deixando levar pelos sentimentos...nos sentimos mais leves, sem as amarras do tempo...ser livre, divagar em nossos sonhos, estar só...em nós.

Maravilha, como sempre!

Um beijo!!

Reggina Moon

Por que você faz poema? disse...

Estou sempre à deriva
meu farol
são os mapas do acaso.

malu jacques disse...

Linda... DIVINA... MARAVILHOSAS... DEUSA DAS PALAVRAS!!
Te gosto muito

malu jacques disse...

É... na verdade, vários são os momentos em que, apesar de juntos, andamos sós... à deriva!!!
Incrívelmente lindo o poema!!!
Parabéns, como sempre és uma deusa das palavras!
Bjos

Úrsula Avner disse...

Belo poema Cris ! Melodioso, em versos bem articulados e de grande lirismo, que encanta como de costume... Bj grande.

Valéria Sorohan disse...

Mergulhei fundo em suas palavras.

BeijooO

Nocturna disse...

Permito-me cegár quando sinto uma noite assim... só luar... sem lenço, sem leme, sem lírio... Só assim sou capaz de deixár-me à deriva.
E como amo!!!!

A.S. disse...

Ah! Nada mais fascinante que navegar em rotas clandestinas!!!

Beijosss
AL

Anônimo disse...

Lindo demais esse poema. Lido, relido, guardado.


Gutemberg Soberano

A Magia da Noite disse...

às vezes na deriva encontramos o caminho certo para navegar.

Lisarda disse...

Hermoso!
Nese verso "Noite cheia de luar" sinto como um eco da cadencia de Rosalía de Castro-mas a intensidade sigue sendo a sua.
Já há como para um livro, não?
Abrazo.

Tatá R. da S. disse...

Mais um maravilhoso!
=*

REGGINA MOON disse...

Cris amada,

...é assim que me sinto!

Maravilhoso, sem palavras!Me comove!

Um grande beijo,

Saudades!

Reggina Moon