terça-feira, 22 de novembro de 2011

Palavreado

(Foto: Aderbal Nunes)


(dedicado a Dani Carrara)



Desenhar palavras


ah, donde os pássaros
ardem os cantos

pairam palavras          
no degelo das asas

ah, donde os pássaros
armam os cantos

pulsam palavras 
no desenho das asas     


Rascunho


atrás das folhas
que tocam
do pinho ao punho

com que cunho
se transparece 
à frente do rascunho?




A criatura em perigo


muda de cor
a oração
como um reles
camaleão.


 Aurora


a meninice
em vós
faz morada:

enamora
toda a voz
pela estrada!




(Cris de Souza)

24 comentários:

Por que você faz poema? disse...

Onde paira a poesia dos pássaros,
o silêncio das palavras,
a música das suas asas?

Em qual rascunho encontro
a criatura que pede por mudanças
em suas orações?

Em qual infância?
Em qual morada?

Analuz disse...

Lindos!

Beijinho, moça poeta!

dani carrara disse...

"delicado a dani carrara", (chorando)

li trasnformado esse palavreado que mora dentro de mim.
(sorrindo)

a imagem você leu nas linhas das minhas mãos. quando menina no lugar que brincava no chão de terra batida todo a vez que olhava do lado direito (sobre o ombro) via um lugar assim - das cercas aos pássaros. (te abraçando)

das palavras tudo o que eu não entendo.
(pulando e dando um monte de beijos)

ontem mesmo eu pensei - quando eu morrer, quero assim escrito:

"a menina aí
morreu sem
(quase)
nada..."

segue os bens -

alguns poemas
que A fizeram.

amei.

um beijo.

dani

Tania regina Contreiras disse...

Cris, amo os poetas que me fazem delirar: e eu deliro com teus versos! E que bela homenagem, heim, Dani???
Beijos,

Luiza Maciel Nogueira disse...

a Dani deve ter brilhado os olhos quando viu essa lindeza. Por que os meus só faltaram saltar de suas órbitas. Beijo linda.

Bípede Falante disse...

meninice é um voo em céu eterno!
Adoro essa palavra.
Lindos poemas, Cris :)
beijosss

Anônimo disse...

você me comove de um modo dúbio - ou um arfar de asa de borboleta ou um punhal d'ouro - fio de nobre metal


Barbara

Batom e poesias disse...

Arrasou!
Aliás, como sempre.
;)
Bjcas

rossana

ROSANA VENTURA disse...

LINDO DEMAIS!
SEM PALAVRAS!

Kelli Olmo disse...

Cris-tal, você é divina e reluz longe de tanto que brilha. E a Dani deve ser das nossas porque sei que você não dá linha pra qualquer criatura.

Te amo, beijos!

Vanessa Souza Moraes disse...

Sou toda rascunhos.

Saudades de ler teus belos versos, menina dos olhos de sonho ;)

Assis Freitas disse...

caraca, isso é a elevação do vento, um redemoinho de sílabas,
e a Dani merece esses espantos todos



beijosss

MIRZE disse...

Esse se "PALAVREADO" é algo quase divino.

Beijos

Mirze

... disse...

Olá querida(o), estou seguindo seu blog já, não por que o desinger me chamou a atenção, mas porque seus textos são otimos. Parabéns.
Se quizer me seguir também, o meu é:
www.raiquemd.blogspot.com

Fred Caju disse...

Esse trem nunca descarrila!

Vais disse...

Ei, Cris-tal de beleza
linda a foto, dá vontade de ir junto
desenhos-palavras-asas-rascunho
versos-cores-aurora-pela estrada

que lindo de você pra Dani

muito lindas vocês duas

beijos & beijos

Daniela Delias disse...

Cris, estive do ladinho da Dani, bem quietinha, compartilhando o encanto das coisas que víamos e ouvíamos lá em Minas. Ela é linda. Ela é doce. E merece cada palavra linda que escreves.
Bjão!

dade amorim disse...

Cada qual melhor que o outro, Cris.
Gosto gosto muito de teus poemas.
Beijo pra você e Dani.

Elisa Cunha disse...

Muito bonito. É sempre bonita... a poesia.

Adriana Karnal disse...

eu já tinha tentado publicar um comment, mas as vezes esse blog encrenca.bens, o negócio é que esse diálogo de vocês,gurias, é de tocar no gogozinho da gente, fazer uma coceguinha e encher os olhos d´água.ai,ai

dade amorim disse...

Menina, que delícia de poemas! Você sempre se supera.
Beijo beijo pra você e Dani.

Rosi Alves... disse...

Lindo!

Jorge Pimenta disse...

que poeta desdenha da boca de fogo? ponho viço e pasmo neste pinho e punho que, mais que rascunho, é a arte total.
beijos, amiga de lira fina!

Jorge Pimenta disse...

que poeta desdenha da boca de fogo? ponho viço e pasmo neste pinho e punho que, mais que rascunho, é a arte total.
beijos, amiga de lira fina!