segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

Trem da lira


no trilho
do verso
clima da arte
expresso

no vagão
da lira
quadril da rima
transpira

a palavra
é combustão
do trem
que revira

(Cris de Souza)

6 comentários:

Gasal veliz disse...

"no trilho
do verso
clima da arte
expresso

no vagão
da lira
quadril da rima
transpira

a palavra
é combustão
do trem
que revira"

caramba, o negócio já sai pronto, fala ae

não consegui destacar nada, nem precisou pra destrinchar.

lindo!

rai2007 disse...

Soy Star.

Creio nos disfarces.
Cris/tais
são as máscaras.

Todas as luzes
iluminam meu palco.

Ivan Santos disse...

enquanto tantos entram em terras virgens da escondida poesia desbravando a mata virgem sem saber onde ir, tú viajas com o trem em liras, soltando cataventos e fumaças, no balanço do verbo e rimas.

Beco da Lua disse...

decarrila versos tesos
coesos e inflamáveis
combinando combustíveis sentimentos

e caminha

não é mulher de linhas,
de trilhos
mapas
és inteira
por ser

Henrique disse...

eu estou mais senssível, depois conversemos

Beatrice Jasmin Noire disse...

teu verso combustível
me revira