terça-feira, 6 de outubro de 2009

Do ser sem rumo



Navega entre meus risos
Um choro perdido no mar

Enverga entre meus risos
Um choro retido sem ar

Meu ser circula nesse horizonte
Onde embarco as lágrimas
Que se disfarçam na espuma

Meu ser ondula nessa fonte
Onde abarco as lástimas
Que se esgarçam na bruma

(Cris de Souza)

15 comentários:

Donzela do Gelo disse...

Como expressar suas linhas, tão bem pensadas,coisa alada, um sonho na ponta da pena? Maestria. Diria. Sentimento. Pensaria.

Mas tú es tudo isso conjugado dentro do verbo amar!

Um beijo e obrigada...por deixar-me aqui, para ler você.

Chris Fonte.

Machado de Carlos disse...

Céu e Mar

... E ela veio! Do Sublime azul do Céu!...
Estático, e, ao som do seu cantar
pude ver sua imagem no meu mar,
tresloucado, nas marés... Ao léu...

Seu semblante; – um pote de raro mel!...
Inexplicavelmente a delirar
sorri... E naveguei no verbo amar!...
Silente - beijei seus lábios de mel!...

Enfim, chegou o fim da ventania!
Renasci noutro corpo... Novo dia!...
Ela abriu portas... Ela é a mensagem!...

Distante posso sentir seu perfume
que na escuridão serve de lume;
renovado, respiro nova aragem!...

Machado de Carlos

Lili disse...

Você Cris, é o próprio amor!!!

Amannda Dantas disse...

vontade de cuspir o verbo, mesmo q n tenha verbo e que seja somente pontos. ai o mar, o ar. tudo compõe o dançar dos grãos de areia. até o mar tem chão. ai o chão... como viver sem ele? como viver sem verbo? como viver sem cupir os sentimetos/verbos? sumo no silêncio. cuspo o meu verbo silencioso. respiro o ar do mar. só isso, nada mais.

sou sua fã! vc sabe disso.

Tatá R. da S. disse...

Vc é toda oceano... Lua e mar.
Linda, densa e iluminada.

REGGINA MOON disse...

Querida Cris...

Mais uma maravilha de verso que nos apresenta...sempre com aquele toque só seu, que nos desperta e encanta...

(...)Meu ser ondula nessa fonte
Onde abarco as lástimas
Que se esgarçam na bruma(...)

Isso é simplesmente divino...sempre me emociona!

Um beijo, sempre!

Reggina Moon

Cuca disse...

Tu és oceânica!!!

Cuca disse...

Me impressiona os seus domínios...

Úrsula Avner disse...

Belo poema Cris, dentro do seu estilo apurado de escrita poética, com versos sempre melodiosos e bem cuidados numa temática lírica expresiva e bela ! Bj.

rai2007 disse...

Sereias cantam uma canção em versos derramados nas águas e na poesia de Cris.

Paulo Vitor Cruz disse...

se a senhorita soubesse o qto é bom saber q vc postou coisas novas, te garanto q vc postava todo o dia...risas...

abs.

Paulo Vitor Cruz disse...

*ah, ia me esquecendo...momento jabá: voltei com o meu blog...fruto de umas idéias meio tortas na cabeça... passa lá se der...(só hoje eu postei cinco textos de uma só vez...risas...)

bai bai.

Lilian disse...

Ameeeeeeeeeeeeii !
Bjos !

Lilian disse...

Ameeeeeeeeeeeeii !
Bjos !

rai2007 disse...

"Meu ser circula nesse horizonte
Onde embarco as lágrimas
Que se disfarçam na espuma".

Versos onde a poeta se integra a natureza e sente a poesia a pulsar no espírito para louvar os cantares universais.