quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Aspirares

(aos que respiram)

Aspiro a cor do apogeu, da flor que o afeto verteu. A leveza. A beleza. A proeza. Pétalas caras, de sorte benzidas por ervas claras. Plantada na brisa, plena de figas que cantam nas alamedas vivas. Onde cigarras dançam com garra e borboletas dão asas às fadas. O bem. O zen. O além. Aspiro rios de risos, encantos cravados nas águas rupestres, celebrando o celeste na trança da esperança. Íris livre ao redor do arco-íris. O carrossel. O cordel. O céu. Aspiro o acordar da criança que encoraja a ciranda, que todo fantasma adormeça - ainda que em segredo - e o medo vire brinquedo.

(Cris de Souza)

15 comentários:

Tatá R. da S. disse...

Lindo e leve como uma brisa de verão!
Beijos, minha mamis!

Mateus Araujo disse...

Tem um ritmo gostoso *_*

Parabéns amour
Beijo♥

Machado de Carlos disse...

A Flor canta. Bela. Fera. Chora. Chega ao ápice, com as lágrimas do beija-flor!

flaviopettinichiarte disse...

bom, eu não vou dizer nada ainda..preciso digerir este banquete de poesia e sentimentos!! o que dizer?? bbjs!!

schetini disse...

Sempre me acho em suas aspirações poéticas. E não está nas cigarras nem nas borboletas ou fadas; me acho no seu ritmo, entre os rios de risos e na criança que encoraja a ciranda. Me acho sempre, porque, aos que respiram, cabe o ouvir, o sentir, o eclodir. (Efeito que encanta a celeste esperança.) Ao me achar, sinto a sua mão humana se edificando aos versos sólidos, diante de segredos fantasmagóricos. É muito envolvente.

Machado de Carlos disse...

À Amiga Querida


Alma boa, que bom vê-la nesta vida!
... Passei horas contemplando o horizonte,
Com a aresta de anil, toquei tua fronte:
No álbum do Céu... estás nesta lida!

Sou um grão de areia, alma querida,
No morro reflito as águas da fonte:
— Como és feliz na cor verdejante;
És força nesta labuta incontida!

Abro os braços ao teu carrossel,
Certo de que tens os ares do Céu,
O Onipresente cantará teus versos!

Multidões aplaudem teu coração,
E eu te abraço com bela canção
Das luzes do Grandioso Universo!

Machado de Carlos

Publicado no Recanto das Letras em 24/11/2009
Código do texto: T1942140

Priscila Rôde disse...

Enquanto lia, uma brisa. Leve, suave como tudo o que escreve e ama.

Cris,
brilhante!

Paulo Vitor Cruz disse...

"Aspiro p acordar da criança que encoraja a ciranda(...)" é bonito... me faz pensar em chocolate... risas...

bai bai.

Machado de Carlos disse...

Tuas palavras são pegadas que o tempo transporta.

Machado de Carlos disse...

Esperei
Não vi o trem passar
também são 4h25
Feliz 2010!
Belo Almoço
Não Almoçarei
Dormirei
Acordarei
não verei
O Tempo Passar!

Jose Ramon Santana Vazquez disse...

...traigo
sangre
de
la
tarde
herida
en
la
mano
y
una
vela
de
mi
corazón
para
invitarte
y
darte
este
alma
que
viene
para
compartir
contigo
tu
bello
blog
con
un
ramillete
de
oro
y
claveles
dentro...


desde mis
HORAS ROTAS
Y AULA DE PAZ


TE SIGO TU BLOG




CON saludos de la luna al
reflejarse en el mar de la
poesía...


AFECTUOSAMENTE:
TREM DA LIRA


DESEANDOOS UNAS FIESTAS ENTRAÑABLES OS DESEO FELIZ AÑO NUEVO 2010 Y ESPERO OS AGRADE EL POST POETIZADO DE LA CONQUISTA DE AMERICA CRISOL Y EL DE CREPUSCULO.

José
ramón...

seu gordo disse...

o gordo voltou de ferias e vim aqui te desejar muita paz nesse ano q se inicia muita paz pra vc que seja um ano maravilhoso em sua vida beijo do gordo

Lili disse...

Aspiro a vida!!!
Lindo demais Cris!!!

Julia Pastore disse...

Tua sonoridade é que não por acaso me trouxe, veloz, atroz, magnética, magnífica.

Cuca disse...

Danada! Que prazer em te ler.
Beijos, poderosa.