terça-feira, 21 de setembro de 2010

Obra

(Amanda Cass)

sonho-te
entre pétalas
acordadas

na fronte
da fábula
cálida

enigma
nas flores
da carruagem

relevo
que enleio
em castidade

sonho-te
entre pérolas
adornadas

na fonte
da página
tácita

escrita
nas cores
da camuflagem

enlevo
que releio
em claridade

(Cris de Souza)


18 comentários:

Machado de Carlos disse...

Quando você falou em dormir mexeu com a minha sensibilidade, pois gosto de dormir muito.
Antes, um pouco de dormir já começo a entrar em outro mundo. O mundo dos sonhos. Enquanto sonhamos, tudo é real. Tudo o que vemos e sentimos, naquele momento é realidade.
Quando acordamos, tudo o que vemos parece irreal. O mundo é outro. Parece que vivemos entre dois mundos. Quase sempre não conseguimos diferenciar este daquele.

Adorei ler você!

flaviopettinichiarte disse...

Querida Cris!
Fico abismado quando leio as tuas palavras , tão bem lapidadas, em perfeita harmonia com o espaço da entre línea e me pergunto, “aonde vão as palavras que, órfãs, perderam os espaço no poema ?
Lindo e voraz...como sempre!

Cuca disse...

Que dom! Suspirando aqui, isso tá lindo de viver...
Tu és o próprio encantamento.

Beijos, feiticeira!

Cuca disse...

Sonhar
é acordar-se
para dentro.

(Quintana)

Tatá R. da S. disse...

Mas que obra!
Suas palavras exalaram beleza.
=***

Assis Freitas disse...

tens uma lira bem afinada, a canção flui

beijo

Pólen Radioativo disse...

Lindo, lindo, lindo... Cris!

"na fonte
da página
tácita"

Oculto, silenciado, ou previamente declarado, mas está lá.

Adorei, linda!!!

Beijos...

A imagem é perfeita.

Leonardo B. disse...

[Há neste texto, algo que escapa no seu próprio voo, que se dilui num espaço exterior... um outro que surge do nada, reflectido em quem se esconde do mundo, por lhe reconhecer as formas... há!]

um imenso abraço, Amiga Cris

Leonardo B.

Pâmela Grassi disse...

Cris,

Sobre o ofício de colher pétalas vermelhas,
os nossos sonhos que se prendem no vento que as leva para longe,

adorei! clap, clap, clap! Beleza sutil teus escritos,

Beijos

Leca disse...

Sonho é mesmo fábula...

Amei a ilustração...

Beijos
Leca

Valéria Sorohan disse...

Esse final é lindo! sua poesia é intensa e imensa, Cris.

BeijooO*

AC disse...

Aqui há talento.
Gostei, muito mesmo!

Beijo :)

Domingos Barroso disse...

Os sonhos encantam-se
mas sempre retornam:
ávidos, loucamente
sensíveis.

Que maldade
...

Carinhoso beijo.

Lara Amaral disse...

"Fábulas cálidas" são seus poemas, impossíveis de se conter, mas como é bom deixá-los escorrer pelos dedos.

Beijo!

Úrsula Avner disse...

Oi minha linda,

Encanta-me sua sensibilidade e delicadeza poéticas associadas a uma capacidade ímpar de elaborar arranjos de versos onde o ritmo, a melodia e a criatividade se destacam em belas imagens poéticas. Bj com carinho.

brain em braille ,poesia contra o tempo disse...

Desdobra da obra prima irmã do sonho perfeito...

Arquitetônico...parabéns poetisa!

bjos!

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Em.levando-te re.levo clara.idade... :)

Albuq disse...

Cris que delicado... me deliciei! bjs