terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Sei do sabor



sei do sabor contíguo
em estar distante

onde o próximo sentido
não carece de provas
  pra perder o prumo   

sei do sabor contínuo
em estar dissonante

       onde o próprio sentido      
não carece de covas
     pra perder o rumo     


(Cris de Souza)

27 comentários:

Lara Amaral disse...

Perder o rumo... entendo bem, rs.

Ótimo poema, e claro, excelente escolha de tela do nosso amigo.

Beijo.

Eder Asa disse...

Pode até ser, mas tem quem perde o rumo e aí carece de covas HAHA'

Maravilha!

Luiza Maciel Nogueira disse...

Marcantonio é um grande artista de fato de mão cheia para a poesia e tu com ele aqui respira uma poesia que faz a minha inspiração luzir até os olhos! Belíssimo!

Beijos

Eduarda disse...

Cris,

sei das tuas palavras onde me encontro com rumo.

bj

Marcantonio disse...

Distância, prumo e rumo me parecem ilusões. Já dissonância parece encontro de uma identidade própria, um eu que evoca, pela diferença, um outro.

Engraçado como essa imagem lembra uma estranha paisagem urbana. A gente vê sempre de outra forma aquilo que a gente mesmo produz. Fico feliz pela confabulação entre imagem e palavra.

Beijo, Cris.

Valéria Sorohan disse...

Linda feitura, simples, porém de uma tessitura singular.

BeijooO*

Assis Freitas disse...

sabores, olores, oh flores
azedo de doce travo

beijo

Jorge Pimenta disse...

parceria texto/imagem perfeita. marcantónio é mesmo multifacetado, verdade, amiga de cris.tal? quanto a ti: não me surpreende que a cada visita ao trem saia surpreendido. magia é o epíteto da tua escrita.
um beijinho, amiga-parceira!

Batom e poesias disse...

Como sempre um lindo poema, Cris. Que tela linda do Marcantonio!

bjs
Rossana

Vais disse...

Olá Cris,
li, reli
e li novamente
e reli outra vez
...

E a imagem, lembra mesmo "uma estranha paisagem urbana" como colocou o próprio autor, Marcantonio.

um beijo

Ricardo Valente disse...

bacana isso... li ligeirinho e bateu legal!
redondinho... hehe que nem skol!
beijo

malu jacques disse...

Como sempre, incrivelmente bela e inteligente!!!
Te admiro muito.
Bjos querida

Mai disse...

O sabor contíguo; o estar contigo é perder o prumo, o rumo a direção.

É de endoidecer este sabor.

E você escreve no que não escreve.

Muito, muito bom!

Alberto Moreira Ferreira disse...

Cris,

é um pólen que embriaga a perder o pé

é um gosto ler e pensar a tua poesia

agradeço-te o carinho... com o poema

desse maravilhoso... Vínicius de Moraes

bj

valeria soares disse...

Adoro passar por aqui. Lindo texto.

« Katyuscia Carvalho » disse...

Quem és tu, poeta que desacelera prumo, rumo, nunca rendida, e sempre a rebater-nos com tuas palavras no rosto!?!

Como aprecio o teu tatear a poesição das palavras como pedras que viram pássaros.

Um beijo.

Pablo Rocha disse...

És de fato, grande poetisa. Uma visão maravilhosa do mundo, traduzida em pequenos versos.
Adorei!!

Beijos!

poetaeusou . . . disse...

*
sei do sabor,
das tuas palavras !
,
conchinhas,
,
*

Machado de Carlos disse...

A menina estava triste. Mas interiormente havia sonhos e sonhos de uma garota triste.
Um dia o coração encontrou uma pedra preciosa. Era o som da vida que eliminara a sua tristeza. Descobriu a força do amor!

Boa noite, amiga! Tudo de bom para você!

Paulo Vitor Cruz disse...

sei q parece repetitivo, redundante e possivelmente tbm esquizofrênico, mas esse tbm me fez pensar em sexo... (sabe como é, né... 'sabor' demais, é tbm afrodisíaco... risas..)

*perdoe a sumida... estava enrolado nos ultimos tempos com a faculdade.. ultimo ano de facul é fogo...

besos, chica.

Albuq disse...

Sei do sabor difícil de estar distante... belo Cris, muito belo o post! bjs

Vieira Calado disse...

Bem explorado

o tema!

Beijocas

Fé Fraga disse...

Que poema lindo Cris.
A cadaa visitinha que faço aqui volto maravilhada com tdo. Ouço até o sons da sua poesia, o cheiro, o sabor tudo.

"onde o próximo sentido
não carece de provas
pra perder o prumo"
Um beijo,
Fé Fraga
http://mefaltaumpedacoteu.blogspot.com

Daniela Delias disse...

Sim, sim!!! Creio que os poetas saibam...lindo, lindo!

Cida disse...

Imagem e poema perfeitos. Amei! :)

Amiga, obrigada pelo carinho deixado no meu espaço. Te desejo um Natal de Paz e Luz, e que o ano novo traga com ele realizações de sonhos seus.

Sua foto do perfil está linda!
Como eu estava afastada da blogosfera, ainda não havia visto.
Agora, vou me ausentar novamente para o Natal, mas depois volto de vez.

Beijo grande, e te cuida.

Cid@

André disse...

A tua poesia é da mais alta qualidade literária, ela transcende o sentido linear e pede sempre releituras. É um prazer vir aqui e beber da tua tão bela lira.

Boa Festas e um ano 2011 em que se dê as melhores realizações para ti, Cris, e a todos os teus próximos. Um grande abraço e obrigado pelas visitas.

André

Sandrio cândido. disse...

neste trem só podemnos mesmo comtemplar.