quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

Pleno espaço


Palmas aos céus
Quando eu pousar
Plano sem som
Pra deslizar

De asas tortas
Num fino traço
Incendiar
Estrelas vãs

Trato de lua
Por dois silêncios
Único afã
Entreolhar

(Cris de Souza)

12 comentários:

Henrique disse...

vc tem mudado bastante, isso é bom! gostei da cor, parece cor de tecido...


beijos

depois volto com mais calma, vou atualizar o link no meu blog

Tatá R. da S. disse...

Linda forma de rima!
E seus versos cada vez mais profundos.
Belo! =)

Lucas de Oliveira disse...

Sugere o que há de doce nisso tudo e surge como a brisa num fim de tarde. Acariciando o olhar de quem lê, és assim... O que só você pode ser.

Tá lindo o blog.
Delicioso o poema.

beijo pra ti.

Telles disse...

Em cada palavra uma lembrança...
Intenso como manga, desmanchando na boca sem pudor, domando a lingua como areia, e inocente como maçã no arroz!

Soberana!

DJ Anael disse...

Ao ler tenho a impressão exata ou errônea(?) de um encontro.. onde você se sente bem... onde o silêncio os serve...

Nada igual se fará, está lindo!

Henrique disse...

o início me estremeceu... eu não tenho muita atenção, talvez não esteja tão senssível para ver a poesia... mas gostei palmas subindo aos céus e a mistura de um pouso leve... Cinematográfico, pareceu-me "Amor Além da Vida".

rs

PARABéNS!

Machado de Carlos disse...

Anjo Belo e que muda a rotina do Céu.

Anônimo disse...

Muito lindo seu novo blog, minha Ingá... adorei o poema também
Beijo

Cesar Maia disse...

Belíssimos!O blog e "Pleno espaço".

Regina disse...

Tudo novo aqui...

Aveludado,cintilante,visceral mesmo...

Parabéns!!

Deve ser nova inspiração.

Pequena Poetiza disse...

estou encantada
principalmente com a frase q está no título de seu blog
gorte
sabe quando vc lê e para e fica admirando? então... me "chapou"

bjos

Metáforas ou mentiras disse...

"Quando eu pousar
Plano sem som"

fera!

os poetas estão mesmo sempre voando, mas um dia pousam no céu (: