quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Tríade em claro

Fotografia: Cris de Souza


Dos andares desconstruídos


nos degraus
da fala
a boca queda

entre os ais
que a poeta
empareda     

rolam-se  
as pedras

nos duais
da fala
a boca quebra

entre os ais
que o poeta
envereda  

rolam-se  
as perdas



Exame de inconsciência


o desvio
discorre
do estar   

ao não
saber
de cada ser    

o seu
impróprio 
lugar?



Pernoite

meia obra
manobra
uma noite
inteira


(Cris de Souza)

14 comentários:

Domingos Barroso disse...

a entrançar a alma da gente
em um surto louco de lucidez
...


beijo carinhoso,
Crisântemo.

Cristiano Marcell disse...

Redobra
a obra

Muita paz!

Daniela Delias disse...

Você desconstrói e eu sempre saio mais inteira.
Belo, Cris.
Bjos!!!

Assis Freitas disse...

as impurezas do claro, obra em construção, devir, devir, o que há de vir - tríade ante meus olhos míopes,



beijoo

Tania regina Contreiras disse...

Desconstruir tem sido meu verbo: ave, poesia!

Beijos,

Joelma B. disse...

Com versos desconstrói os descaminhos...

Beijinho, Cris poeta amiga!

Lara Amaral disse...

O primeiro poema é estonteante! Gostei de tudo, vc me pega de jeito aqui.

Beijo.

Thuan Carvalho disse...

Confesso que já presenciei vários textos nos quais as palavras pareciam dançar, mas o que você faz é sacanagem.

Parece uma aula de valsa!

letra pra cá, letra pra lá,
e poesia em todo lugar!

ovictorpereira disse...

Eu realmente estou apaixonado por esse blog. Como um rapaz falou, "o que você faz é sacanagem"!

Muito talento! Esse último poema, "pernoite", era algo que eu queria ler há muito tempo.

Colocarei como indicação de blog na barra lateral do meu.

Ira Buscacio disse...

das pedras que deixas rolar cá, eu vou construindo olhares.
Vc é muito!
bj imenso, poetaça

Kelli Olmo disse...

Claro que tua poesia é divina!!!!!!!Te aplaudo, Cristal. Beijussssss.

Kelli Olmo disse...

E outra:tua fotografia é um luxo!!!Tudo que você faz, faz muito bem.

Wilson Caritta disse...

a boca quebra a fala
já que a quebra da boca
é o beijo do poema...

ofuscas Jade!

beijos.

juliana kalid disse...

(e se acaso encontrar esse impróprio lugar,
devo fugir ou lá quedar?)

tudo por aqui é de enternecer a alma, cris.

:)