terça-feira, 21 de janeiro de 2014

Um canto à parte

Arte: Nua Estrela


Como um canto
Desbocado
De Bocage

Como um canto
Em que a boca 
Age

Como um canto
Que arde ao chamar
O membro

Ai
Como a arte
Do encaixe

Canto o desejo
(Tanto)
A seu tempo

(Cris de Souza)

7 comentários:

JAIRCLOPES disse...

CANTOTANTO
Bastante seja por tudo mais enquanto
Nada se veja em frente aparentemente
Bem mais amigo se levante um canto
O qual seja antigo e que nunca mente

Que seja bom enquanto dure o desejo
De cantar um canto há muito desejado
De se fazer ouvir mostrando um ensejo
Que o canto bem melhor seja cantado

Porém que desejo se encaixe então
Num tão belo canto que se faça arte
E se espalhe amoque pelo mundão

E se for possível alcance até Marte
Canto/conto de Bocage com palavrão
Que a humanidade seduza destarte.

Tania regina Contreiras disse...


Adoro quando você volta com tudo! :-) Grande maquinista das palavras!!!

A-do-rei...

Beijos,

Joelma B. disse...

um canto à parte que nos canta...

beijos, Cristalina!!

José Carlos Sant Anna disse...

Ah! As impulsões da linguagem! A palavra poética escapando das malhas da sintaxe, as construções elípticas dominando a linguagem; à parte essa liberdade a um canto, em outro age e arde outro tanto.
Beijos, caríssima!

Ira Buscacio disse...

Criquérrima!!!!!!!

jorge pimenta disse...

tanto canto a seu tempo em ritmo lento - balada de corpos e sua história, um canto à parte, um canto que parte...

viagens sempre de alucinação e vertigem as da tua lira, cris-tal; beijos mil!

Thuan Carvalho disse...

a boca do inferno agradece o céu.